"O pensar se manifesta na palavra; A Palavra se transforma em ato; o ato se desenvolve em hábito; e o hábito endurece como caráter." - Buda

"Nós somos as sondas por meio das quais a existência conhece a si mesma."
Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 26 de setembro de 2010

Artigos Traduzidos : A Ciência da Oração e Cura, parte I

Este é o artigo original. É uma leitura um tanto longa mas vale a pena especialmente devido a parte científica no fim do texto.

Muitas terapias de medicina alternativa enfatizam cura a partir de uma perspectiva holística de mente,corpo e espírito; qualquer discussão das terapias seria incompleta sem esta perspectiva. Abordagens mente-corpo para medicina ganham aceitação cada vez maior em anos recentes. E o que dizer da espiritualidade? Praticamente todos rezam quando confrontados com um ferimento traumático como injúria ao cordão espinhal ( ICE ) ou uma doença debilitante como esclerose múltipla ( EM ). Podem estas orações ajudar a saúde? Evidência científica substâncial indica que sim. Este artigo em duas partes discutirá a evidência científica que correlaciona religião, espiritualidade e oração com a saúde física, assim como vários mecanismos por meio dos quais seus efeitos de cura podem ser mediados.

Oração: Um tabu médico?

Preferindo drogas, cirurgia e alta tecnologia, a medicina do século vinte ignorou os componentes espirituais da cura. As leis físicas delineadas por Sir Isaac Newton no século dezessete guiam a medicina moderna. Sob estas leis, o universo - incluindo o corpo humano - funciona por princípios específicos fisicos de causa-e-efeito.

Como tal, o corpo pode ser compreendido desmembrando e estudando cada componente. Já que a consciência não possui papel em tal sistema, a espiritualidade foi considerada irrelevante para a saúde.

Em adição, muitas pessoas são desconfiadas de cientistas tentando estudar a oração. Eles acreditam que as atitudes refletidas pelos cientistas contribuiram para muitos dos problemas mundiais e não querem a oração
corrompida pela examinação científica. A sociedade tem uma tendência a compartimentalizar a oração e a espiritualidade.
Por exemplo, o National Institute of Health ( organização americana, NIH, localizada em Bethesda ) foi criticada por patrocinar um estudo examinando o efeito da oração na reabilitação em vícios de alcool e drogas, porque violava a separação constitucional da igreja e do estado.

Por causa de tamanhas controversias e tendenciosidade, muitos cientistas preferem usar frases como "campos de energia sutil" quando descrevendo sua pesquisa em consciência "prayer-like" ( algo como consciencia associada a oração ). A oração é tida como possuindo conotações emocionais, subjetivas, e a pesquisa em energias sutis é levada a frente por cientistas objetivos e "duros".  Entretanto, muitos cientistas pensaram que a ciência e a espiritualidade engrandecem uma a outra e não representam visões de mundo incompatíveis. Um deles é Albert Einstein, que disse " Ciência sem religião é coxa. Religião sem ciência é cega."

O retorno da Oração:

A oração está fazendo um retorno a medicina. Dado que 94% dos Americanos crêem em Deus ou em um poder maior ( 1994 Gallup Poll ), não é surpreendente que 75% dos pacientes pensem que seu médico deveria abordar questões espirituais como parte de seu tratamento médico. Além disso, 40% querem que seus médicos discutam questões religiosas ativamente com eles, e quase 50% querem que seus médicos rezem não somente por eles, mas com eles. Em uma tendência crescente, 43 por cento de médicos americanos rezam em privado por seus pacientes. Um artigo no Journal of the American Medical Association ( JAMA, Maio 1995) com o título "Should Physicians Prescribe Prayer for Health" ( Devem os médicos prescrever orações para saúde ), discute estas tendências. A mera presença deste artigo neste altamente respeitado bastião da profissão médica sugere que a barreira entra espiritualidade e  assistência médica está ruindo.

Religião Organizada: Bom Para Sua Saúde?

Estudos científicos demonstram que indivíduos que participam em religiões organizadas são fisicamente mais saudáveis e vivem mais tempo ( veja Is Religion Good for Your Health, Harold Koenig, 1997). Por exemplo, eles tem menor incidência de pressão alta, derrames e doenças coronárias.  No tocante a saúde mental, eles possuem menores taxas de depressão, ansiedade, abuso de substâncias e suicídio. Religião organizada pode promover saúde por meio de uma variedade de mecanismos sociais, por exemplo , desencorajando comportamentos prejudiciais como uso de alcool e drogas, fumo e sexo de risco; e provendo apoio social e um senso de pertença.

A Ciência por Trás da Oração : 

Em adição aos efeitos da religião organizada, consciência "prayer-like" também mostrou exercer uma influência em numerosos estudos científicos. Apesar dos efeitos da organização religiosa serem explicados por meio de mecanismos prontamente compreensíveis, os efeitos da oração não podem. Após revisar a literatura, Dr. Daniel Benor ( Complementary Medical Research 4:1, 1990 ) encontrou 131 estudos controlados envolvendo oração ou cura espiritual. Destes, 77 mostraram resultados estatísticamente significativos. Uma amostra destes estudos segue :

Formas inferiores de Vida: Por meio de intenção consciente, cobaias ( voluntários normais com nenhuma habilidade especial ) foram capazes de influenciar o crescimento de fungos, mofos, leveduras e bactérias, por vezes em grandes distâncias. Estes estudos implicam que a oração tem o potencial para combater infecções.

Com implicações potencialmente profundas, cobaias também foram capazes de alterar a taxa de mutação genética de bactérias. Se orações podem alterar os genes de bactérias, é concebível que ele possa também fazer o mesmo pelo homem. Se este é realmente o caso, o homem pode não estar limitado ao que foi préviamente pensado ser seu destino genético imutável. De fato, Gregg Braden em Walking Between the Worlds: the Science of Compassion ( 1997) apresenta um caso em que a emoção humana afeta o padrão em que o DNA se apresenta dentro do corpo.

Humanos: Consciência relacionada a oração foi mostrada que pode inibir o crescimento de células cancerígenas, proteger células vermelhas sanguíneas, alterar a composição sanguínea, e aumentar a oxigenação sanguínea. Em um estudo, feridas de pele curaram em uma taxa acelerada quando tratadas com um tratamento espiritualmente-relacionado.

Em um controverso estudo levado pelo cardiologista Randolph Byrd ( Southern Medical Journal, Julho 1988), quase 400 pacientes cardíacos foram colocados aleatóriamente em um um grupo que recebia orações a distância de um grupo que orava em casa ou um grupo controle. Este foi um estudo duplo-cego metodológicamente rigoroso desenhado para eliminar o efeito placebo. Em tal estudo, nem o paciente nem o doutor sabe quem está recebendo a intervenção ( oração ). Pacientes que receberam oração tinham melhores destinos em relação a melhora do estado, incluindo uma necessidade reduzida de antibióticos e uma menor incidência de edema pulmonar.

Pesquisador de oração Jack Stucki executou estudos duplo-cego avaliando os efeitos de orações distantes nos campos eletromagnéticos do corpo. Nestes estudos, a atividade elétrica em tanto o cérebro como a superfície corporal foram medidas em cobaias em seu laboratório em Colorado Springs. A quase 1000 milhas ( aproximadamente 1609km ) distantes na Califórnia, grupos espirituais iriam ou rezar ou não rezar por uma cobaia. A atividade elétrica nas cobaias que recebiam orações era significantemente alterada comparada
quando comparada com os controles.

Cura por meio de Materiais Secundários: Curandeiros espirituais demonstraram serem capazes de curar por meio de materiais secundários, como água ou gaze cirúrgica, que eles seguraram. Uma análise espectroscópica da água tratada por curandeiros indica uma mudança na estrutura molecular da água induzida por energia. Esta água tratada por curandeiros mantinha estas propriedades alteradas e sua eficiência por pelo menos dois anos. Estes achados sugerem que é, pelo visto, possível que objetos sagrados, como água benta, possuírem poder.

Oração Distante ou Deslocada pelo Tempo :

Oração não-Local: Os exemplos precedentes indicam que a oração e a cura espiritual podem exercer seu efeito a partir de uma distância. Como discutido em Healing Words de Larry Dossey ( 1993 ), cobaias ( novamente voluntários normais sem "dons" especiais ) podem influenciar o resultado de eventos físicos aleatórios mesmo quando separados por grandes distâncias. Esta pesquisa, grande parte da qual foi conduzida na Universidade de Princeton, utiliza eventos aleatórios ou geradores de números. Estes geradores produzem largos conjuntos de dados como zeros e um, que ao longo do tempo possuem uma média como no caso de cara ou coroa. Cobaias, no entanto, podem influenciar o resultado destes geradores para que os dados não mais possuam uma média ( ou seja, não mais aleatórios ). Concentração e foco mental parecem possuir efeito mínimo. No entanto as cobaias com maior influência descreveram uma ligação ou "tornar-se um" com a máquina.

Oração Deslocada no Tempo: Não apenas podem cobaias influênciar resultados ao longo de distâncias mas também, impressionantemente, podem afetar resultados do passado. Específicamente, as cobaias influenciaram a saída de geradores de eventos aleatórios no passado. Nestes experimentos causa-ocorrendo-após-o-efeito, os eventos aleatórios haviam sido gravados mas ainda não conscientemente observados. Esta influência após o fato foi bloqueada, no entanto, se outro grupo ( mesmo um animal ) observava os dados pré-gravados antes que a influência mental fosse executada.  Portanto, observação consciente aparenta fixar o passado.

Se nós podemos influenciar os resultados passados de geradores de eventos aleatórios, alguns dos quais são baseados em decaimento atômico, sera possível influenciar nosso passado médico, que também é baseado em eventos atômicos? Por exemplo, embora exames médicos de rotina possam descobrir problemas em um estágio inicial, não há evidência estatística que tais exames aumentem a longevidade na população geral.
Embora sendo cuidadoso para não encorajar indivíduos a abolirem tais exames, Dr. Larry Dossey especula que o exame médico possa servir como o ato de observação que irrevogavelmente trava a doença em existência. Esta "busca médica" pode "apagar a maleabilidade de eventos fisiológicos críticos" que muitos indivíduos poderiam ser capazes de influenciar em um nível de mente, corpo e espírito.

Uma Nova Energia?

Física quântica está desenvolvendo teorias com insights em fenômenos não-locais tais como orações distantes.
Por exemplo, o teorema de Bell , que é apoiado por evidências experimentais, indica que uma vez que partículas subatômicas entrem em contato, elas permanecem sempre conectadas. Uma mudança em uma cria uma mudança concorrente na outra, mesmo se estiverem a um universo de distância. Alguns físicos acreditam que estes eventos não locais não estão apenas limitados a partículas subatômicas, mas estão na base de eventos diários, incluindo a oração. Para ajudar a entender um número de fenômenos inexplicáveis, incluindo eventos não-locais, muitos físicos acreditam que uma quinta forma de energia exista ( em adição a gravidade, energia eletromagnética, e energia nuclear forte e fraca ) que opera em princípios diferentes.

Talvez a energia de força vital a que muitas tradições médicas e espirituais se referem ao longo da história represente esta energia. Será a energia que os Tibetanos e Hindus se referem como prana, que os Polinésios chamam de mana, Yesad na tradição da Cabala Judaica, qi ou chi na medicina oriental, ou o Sagrado espirito santo cristão?

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Caminhar para ficar esperto?

Um artigo recente mostra que uma leve caminhada várias vezes por semana não somente aumenta os níveis de fitness - também lhe faz mais esperto. Novas pesquisas mostraram que caminhar "em seu próprio passo" por 40 minutos, três vezes por semana pode melhorar a inteligência.

Cientistas concluiram após um estudo de um ano, envolvendo pessoas que caminham regularmente e sedentários que caminhadas moderadas melhoram as conexões entre os circuitos cerebrais, combatem a queda de função neural liga ao envelhecimento e melhoram a performance em tarefas que envolvem raciocínio.

Bem, exercitar-se sempre é uma opção mais saudável que o sedentarismo. As caminhadas também costumam diminuir padrões de pensamentos repetitivos, típicos de quando estamos em ambientes fechados sem luz por muito tempo.

Informação Versus Conhecimento

Quantas vezes nos deparamos empolgados em distribuir, espalhar certa verdade ou verdades que encontramos ao longo de nossas vidas? Seja um pensamento que inspira, vindo de uma facção religiosa, seja uma conclusão que chegamos após um tempo observando determinado fenômeno ou situação social.

Normalmente o que se vê, é a tendência a debater, a combater o outro. A subjugar seu ouvinte a aceitar seu ponto de vista, confirmando a si mesmo no processo. O que estou querendo dizer é que muitas vezes que alguém lhe passa algo, seja uma informação, um "truismo" ou algo assim, ela não possui um genuíno interesse em melhorar sua vida.
Simplesmente o desejo é de se afirmar como correto, e evitar angústia e outros sentimentos internos.
           
Debate, em sua essência meiga e "positiva"
Outras vezes a informação não tem grande valia, já que você está em um caminho diferente da pessoa. Deve-se levar sempre em consideração quem é a pessoa que lhe traz a informação, e tornar-se astuto o suficiente para conseguir intuir ou descobrir de maneira empírica quais são suas reais intenções. Qual o valor de uma informação sobre como ser mais "assertivo" e como "destruir seu oponente" em um argumento, quando a pessoa que recebe a informação está mais interessada em troca de informação, ao invés de estar simplesmente "certo" ?

Esta é uma das razões pelas quais a informação não viaja só. Ela precisa de um veículo, que lhe dá sentido, contexto e direção. No modo em que este veículo lhe transmite a informação estão contidas todas estas coisas, é só aprender a observar.

Outra situação que ocorre, é que o indivíduo sente que lhe foi passada uma grande verdade, e o que ele faz é simplesmente lhe re-passar o veículo por onde ele conseguiu tal informação.
Esta maneira de encaminhar a situação tem grande valia, no entanto uma outra abordagem, mais oriental em origem, tem um maior poder de penetração.

Se você crê que recebeu uma informação sobre como viver melhor, pratique. Faça desta informação, que pode ser uma nova maneira de caminhar, ou de respirar ou de entender certo aspecto de nosso mundo, sua propriedade. Caminhe com o que você aprendeu, pratique sempre.
Se a informação for válida, ela mudará sua vida perceptivelmente para melhor. Se não for, discarte, começe novamente.

Eventualmente as pessoas perceberão a mudança e esta informação, que agora é conhecimento, terá muito mais impacto.