"O pensar se manifesta na palavra; A Palavra se transforma em ato; o ato se desenvolve em hábito; e o hábito endurece como caráter." - Buda

"Nós somos as sondas por meio das quais a existência conhece a si mesma."
Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 15 de setembro de 2013

Uma longa e gorda história? Dieta Paleolítica, Parte III


AVISO: O seu coração pode ter um aspecto ligeiramente diferente
do coração da imagem. Assim eu espero pelo menos.
Procure um médico caso tenha dúvidas.

Na ultima "edição", deixamos no ar o questionamento: e quanto a saúde do bom e velho coração?

Toda essa história gordurosa, traz a luz uma das preocupações do público:  o consumo elevado de gorduras de origem animal leva a uma maior possibilidade de doenças do coração?
 Apesar de freqüentemente afirmado, não é o caso. O que os estudos apontam é uma imensa falta de correlações que mostrem que o consumo de gorduras saturadas leva a doença coronariana e que níveis de colesterol sanguíneo ou da dieta sejam indicadores de risco. Um projeto de um grupo de cientistas, chamado de International Atherosclerosis Project analisou trinta e uma mil autópsias de quinze países diferentes e encontrou zero correlação entre ingesta de gordura animal, doença arteroesclerótica e níveis de colesterol no sangue. Um estudo recente até demonstra altos níveis de colesterol como benéficos para o cérebro!

Então, qualquer gordura serve? Devagar com o andor meus caros, pois o consumo das gorduras erradas pode, e leva a conseqüências desastrosas. Lembram-se que foi dito anteriormente que nem todas as gorduras são iguais? A classificação das gorduras dá-se pelo nível de saturação ou insaturação das cadeias de ácidos graxos constituintes... em português agora. A classificação se dá por pequenas diferenças na estrutura dos ácidos graxos que compõem a gordura. Então temos ácido graxos saturados (basicamente de origem animal), monoinsaturados e polinsaturados (basicamente de origem vegetal) e... as gorduras trans.

As infames gorduras trans são gorduras de origem vegetal que são processadas para aumentar seu grau de saturação, aumentando seu tempo de vida útil. Um processo chamado de hidrogenação. O problema é que isto altera a estrutura da molécula, de tal forma que o corpo não consegue mais fazer um reconhecimento adequado. É como se o corpo ficasse cego para a molécula, e lidasse com ela da melhor maneira que um cego consegue: trôpega e toscamente. As gorduras trans entre muitos outros efeitos desagradáveis aumentam o risco de diabetes do tipo 2 e alteram as capacidades de desintoxicação do fígado para pior.
Então é uma questão de evitar as gorduras trans! Eu já faço isso quando cozinho com meu óleo de soja, não? Errado, estimado leitor.


Err...existem escolhas melhores.

A razão pela qual as gorduras trans foram criadas em parte, é porque os óleos vegetais, como o de soja, são extremamente suscetíveis a ficarem rançosos. E este risco aumenta quando estas gorduras são expostas a calores como o de uma frigideira por exemplo. Estas gorduras, estes óleos, uma vez rançosos quando consumidos aumentam os riscos da aterosclerose, as velhas placas que entopem suas artérias.
É esperado que este texto tenha lhe munido com informação para fazer escolhas mais saudáveis a respeito da alimentação. Que a despeito do que outros veículos propõem, que emagrecer é um bom motivo para olhar para o que você come, mas que existem muitas outras razões para prestar atenção.

Então leitor, para não nos alongarmos mais que o veículo permite, tenha em mente que talvez a alimentação regule finamente muitos processos que você nunca parou pra pensar, e você literalmente é o que você come, visto que os ácidos graxos que você ingere literalmente farão parte de sua estrutura corporal, e que a quantidade de carboidratos que você ingere podem lhe predispor para doenças desagradáveis. Por motivos de espaço não tocamos em MUITOS outros tópicos relacionados, sobre como o consumo excessivo de carboidratos pode estar ajudando você a envelhecer mais depressa por meio de produtos avençados de glicação (AGEs), o efeito inflamatório de muitos legumes no seu intestino e como isso possivelmente é ligado a doenças auto-imunes, condições ligadas a candida albicans, entre outros. Levando em consideração que a chegada da agricultura trouxe consigo uma redução na estatura, dentes tortos, cáries e o surgimento de algumas doenças cujos indicadores não eram encontrados nos nossos ancestrais da era do gelo, revisitar os meios antigos de vida e ser conservador neste contexto talvez não seja uma idéia tão ruim assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário