"O pensar se manifesta na palavra; A Palavra se transforma em ato; o ato se desenvolve em hábito; e o hábito endurece como caráter." - Buda

"Nós somos as sondas por meio das quais a existência conhece a si mesma."
Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Segunda parte do artigo sobre a Oração e seu poder de Cura

Esta é a segunda parte do artigo que foca em como a oração e a espiritualidade influenciam a saúde. Este artigo discute como vários possíveis mecanismos pelos quais terapias baseadas em espiritualidade ou consciência similar a oração podem facilitar a cura fisica. Estes mecanismos expansores de paradigma frequentemente envolvem conceitos centrais para outras tradições de cura. Por vezes referenciada como pesquisa em energia-sutil ( ao invés da oração ), os mecanismos são cada vez mais elucidados por evidência científica.

Energia Eletromagnética:

Frequência: Energia eletromagnética representa um mecanismo através do qual a oração pode ser tranformada em poder de cura. Apesar de todos os humanos gerarem tal energia, curandeiros espirituais aparentemente são únicos ( ver How Prayer Heals, do Dr Walter Weston, 1998). Por exemplo, onde a maioria das pessoas emitem um onda eletromagnética variável de suas mãos, curandeiros emitem uma frequência contínua de 7.8 hertz (hertz sendo o número de ondas que passam em um ponto fixo por unidade de tempo, por exemplo ciclos por segundo).

Talvez porque seja idêntica a frequência ressonante do planeta Terra, esta frequência parece ter significância especial de cura. Por exemplo, em camundongos ela pode curar cancer induzido usando uma frequência inferior. Isto indica que algumas frequências são amplificadoras de vida e outras são redutoras de vida. Curandeiros de toque mostraram transmitir essa frequência de 7.8 hertz, amplificadora de vida, para outros por meio de consciência similar a oração.

Voltagem: O potencial elétrico cumulativo do corpo pode ser imenso. Pesquisadores mostraram que as mãos de curandeiros espirittuais podem emitir acima de 200 volts; não-curandeiros produziram não mais que 4 volts. Visto que tais voltagens são aproximadamente um bilhão de vezes mais fortes que as voltagens de ondas cerebrais e 100 milhões de vezes mais fortes que as cardíacas, seus impacto potencial no corpo humano é enorme. É concebível que curandeiros possam "levantar os mortos" da mesma maneira que defibriladores cardíacos.

Barbara Brennan, uma ex-fisica da NASA, desenvolveu um programa de treinamento para aumentar as capacidades inerentes das pessoas de perceber estes campos (ver Hands of Light, 1988). Uma clássica demonstração destes campos de energia é chamada de "efeito da folha fantasma". Após uma parte de uma folha ser cortada e destruida, uma imagem precisa da folha inteira pode ser obtida usando fotografia Kirliana.

Proponentes acreditam que o campo energético humano é composto de pelo menos sete camadas consecutivas representando vibrações energéticas que aumentam. Intersectando o corpo e o campo energético estão sete centros de energia parecidos com tornados, chamado chakras. Fundamentais para varias tradições orientais de cura, estes chakras sugam energia do campo de energia universal e transformam em energia que o corpo pode usar.

Localizado em frente ao cordão espinhal, uma coluna de poder ou tubo prânico recebe energia vital dos chakras e transmite-a verticalmente ao longo do corpo. Qualquer desequilíbrio energético ou bloqueio eventualmente causa doença (basicamente, a teoria por trás da acupuntura). Estes bloqueios energéticos podem ser medidos e avaliados antes do surgimento da doença fisica. Por exemplo, utilizando uma forma avançada de fotografia Kirliana, o médico indiano Ramesh Chouhan pode identifica a assinatura energética única de várias doenças, meses antes de sintomas específicos.

Injúria no cordão espinhal : De acordo com Sherry Pae, uma professora na escola Barbara Brennan de cura, esta injúria afeta fortemente o fluxo energético ao longo do corpo devido a proximidade com a coluna de poder. Além disso, após a injúria, a energia recebia pelos chakras base e sacral é substancialmente reduzida. Os efeitos da injúria são guardados no campo etéreo, o campo energético mais próximo do corpo. Este campo contém o template ou blueprint para o corpo físico. Ele duplica cada célula e orgão do corpo ( similar aos campos de ressonância mórfica de Shelldrake). Assim ele é responsável pelo crescimento, desenvolvimento e reparo do corpo físico. Se o template etéreo é distorcido, seu produto físico, o corpo, poderá também ser distorcido de alguma maneira.

Após a injúria, os vetores energéticos disfuncionais do campo etéreo devem ser reparados para facilitar a cura fisiológica. Como o tempo tende a "travar" uma injúria de cordão espinhal no campo etéreo, quanto antes a terapia for feita, melhor.

Pae diz que memórias emocionais negativas associadas a injúria ficam guardadas nos campos energéticos celulares. O corpo se cura mais rapidamente quando esta energia negativa é removida. Ela diz que a dor e espasmos são grandemente reduzidos com terapia energética.

O Dr. Walter Weston é um curandeiro espiritual ( e também um pesquisador e ministro da igreja ), que usa estes campos energéticos. Ele acredita que injúrias traumáticas recentes respondem bem a suas técnicas. Apesar de sua experiência com injurias no cordão espinhal ser limitada, ele indica que suas terapias de cura foram especialmente eficientes para injúrias traumáticas no cérebro. Ele relata que muitos pacientes sobreviveram mesmo com ferimentos e traumas sérios no crânio direito a tecido cerebral danificado. Ele relata que o tecido regenerou-se e que as funções de memória foram restauradas.

Eu não traduzi o artigo inteiramente, pois pretendo não deixar este post muito longo, apenas com as informações mais pertinentes. Eu não concordo com todas as partes expostas no artigo, mas minhas divergências são menores, quando comparadas ao fato e ao coração dos dois artigos; que a oração/meditação com semente pode ter um poder imensamente regenerador sobre o indivíduo, e que esta regeneração pode, em alguns casos se estender para outro individuo, via técnicas de cura ou preçe.

Acredito que já é uma boa quantidade de material para se pensar e ponderar  não?

domingo, 26 de setembro de 2010

Artigos Traduzidos : A Ciência da Oração e Cura, parte I

Este é o artigo original. É uma leitura um tanto longa mas vale a pena especialmente devido a parte científica no fim do texto.

Muitas terapias de medicina alternativa enfatizam cura a partir de uma perspectiva holística de mente,corpo e espírito; qualquer discussão das terapias seria incompleta sem esta perspectiva. Abordagens mente-corpo para medicina ganham aceitação cada vez maior em anos recentes. E o que dizer da espiritualidade? Praticamente todos rezam quando confrontados com um ferimento traumático como injúria ao cordão espinhal ( ICE ) ou uma doença debilitante como esclerose múltipla ( EM ). Podem estas orações ajudar a saúde? Evidência científica substâncial indica que sim. Este artigo em duas partes discutirá a evidência científica que correlaciona religião, espiritualidade e oração com a saúde física, assim como vários mecanismos por meio dos quais seus efeitos de cura podem ser mediados.

Oração: Um tabu médico?

Preferindo drogas, cirurgia e alta tecnologia, a medicina do século vinte ignorou os componentes espirituais da cura. As leis físicas delineadas por Sir Isaac Newton no século dezessete guiam a medicina moderna. Sob estas leis, o universo - incluindo o corpo humano - funciona por princípios específicos fisicos de causa-e-efeito.

Como tal, o corpo pode ser compreendido desmembrando e estudando cada componente. Já que a consciência não possui papel em tal sistema, a espiritualidade foi considerada irrelevante para a saúde.

Em adição, muitas pessoas são desconfiadas de cientistas tentando estudar a oração. Eles acreditam que as atitudes refletidas pelos cientistas contribuiram para muitos dos problemas mundiais e não querem a oração
corrompida pela examinação científica. A sociedade tem uma tendência a compartimentalizar a oração e a espiritualidade.
Por exemplo, o National Institute of Health ( organização americana, NIH, localizada em Bethesda ) foi criticada por patrocinar um estudo examinando o efeito da oração na reabilitação em vícios de alcool e drogas, porque violava a separação constitucional da igreja e do estado.

Por causa de tamanhas controversias e tendenciosidade, muitos cientistas preferem usar frases como "campos de energia sutil" quando descrevendo sua pesquisa em consciência "prayer-like" ( algo como consciencia associada a oração ). A oração é tida como possuindo conotações emocionais, subjetivas, e a pesquisa em energias sutis é levada a frente por cientistas objetivos e "duros".  Entretanto, muitos cientistas pensaram que a ciência e a espiritualidade engrandecem uma a outra e não representam visões de mundo incompatíveis. Um deles é Albert Einstein, que disse " Ciência sem religião é coxa. Religião sem ciência é cega."

O retorno da Oração:

A oração está fazendo um retorno a medicina. Dado que 94% dos Americanos crêem em Deus ou em um poder maior ( 1994 Gallup Poll ), não é surpreendente que 75% dos pacientes pensem que seu médico deveria abordar questões espirituais como parte de seu tratamento médico. Além disso, 40% querem que seus médicos discutam questões religiosas ativamente com eles, e quase 50% querem que seus médicos rezem não somente por eles, mas com eles. Em uma tendência crescente, 43 por cento de médicos americanos rezam em privado por seus pacientes. Um artigo no Journal of the American Medical Association ( JAMA, Maio 1995) com o título "Should Physicians Prescribe Prayer for Health" ( Devem os médicos prescrever orações para saúde ), discute estas tendências. A mera presença deste artigo neste altamente respeitado bastião da profissão médica sugere que a barreira entra espiritualidade e  assistência médica está ruindo.

Religião Organizada: Bom Para Sua Saúde?

Estudos científicos demonstram que indivíduos que participam em religiões organizadas são fisicamente mais saudáveis e vivem mais tempo ( veja Is Religion Good for Your Health, Harold Koenig, 1997). Por exemplo, eles tem menor incidência de pressão alta, derrames e doenças coronárias.  No tocante a saúde mental, eles possuem menores taxas de depressão, ansiedade, abuso de substâncias e suicídio. Religião organizada pode promover saúde por meio de uma variedade de mecanismos sociais, por exemplo , desencorajando comportamentos prejudiciais como uso de alcool e drogas, fumo e sexo de risco; e provendo apoio social e um senso de pertença.

A Ciência por Trás da Oração : 

Em adição aos efeitos da religião organizada, consciência "prayer-like" também mostrou exercer uma influência em numerosos estudos científicos. Apesar dos efeitos da organização religiosa serem explicados por meio de mecanismos prontamente compreensíveis, os efeitos da oração não podem. Após revisar a literatura, Dr. Daniel Benor ( Complementary Medical Research 4:1, 1990 ) encontrou 131 estudos controlados envolvendo oração ou cura espiritual. Destes, 77 mostraram resultados estatísticamente significativos. Uma amostra destes estudos segue :

Formas inferiores de Vida: Por meio de intenção consciente, cobaias ( voluntários normais com nenhuma habilidade especial ) foram capazes de influenciar o crescimento de fungos, mofos, leveduras e bactérias, por vezes em grandes distâncias. Estes estudos implicam que a oração tem o potencial para combater infecções.

Com implicações potencialmente profundas, cobaias também foram capazes de alterar a taxa de mutação genética de bactérias. Se orações podem alterar os genes de bactérias, é concebível que ele possa também fazer o mesmo pelo homem. Se este é realmente o caso, o homem pode não estar limitado ao que foi préviamente pensado ser seu destino genético imutável. De fato, Gregg Braden em Walking Between the Worlds: the Science of Compassion ( 1997) apresenta um caso em que a emoção humana afeta o padrão em que o DNA se apresenta dentro do corpo.

Humanos: Consciência relacionada a oração foi mostrada que pode inibir o crescimento de células cancerígenas, proteger células vermelhas sanguíneas, alterar a composição sanguínea, e aumentar a oxigenação sanguínea. Em um estudo, feridas de pele curaram em uma taxa acelerada quando tratadas com um tratamento espiritualmente-relacionado.

Em um controverso estudo levado pelo cardiologista Randolph Byrd ( Southern Medical Journal, Julho 1988), quase 400 pacientes cardíacos foram colocados aleatóriamente em um um grupo que recebia orações a distância de um grupo que orava em casa ou um grupo controle. Este foi um estudo duplo-cego metodológicamente rigoroso desenhado para eliminar o efeito placebo. Em tal estudo, nem o paciente nem o doutor sabe quem está recebendo a intervenção ( oração ). Pacientes que receberam oração tinham melhores destinos em relação a melhora do estado, incluindo uma necessidade reduzida de antibióticos e uma menor incidência de edema pulmonar.

Pesquisador de oração Jack Stucki executou estudos duplo-cego avaliando os efeitos de orações distantes nos campos eletromagnéticos do corpo. Nestes estudos, a atividade elétrica em tanto o cérebro como a superfície corporal foram medidas em cobaias em seu laboratório em Colorado Springs. A quase 1000 milhas ( aproximadamente 1609km ) distantes na Califórnia, grupos espirituais iriam ou rezar ou não rezar por uma cobaia. A atividade elétrica nas cobaias que recebiam orações era significantemente alterada comparada
quando comparada com os controles.

Cura por meio de Materiais Secundários: Curandeiros espirituais demonstraram serem capazes de curar por meio de materiais secundários, como água ou gaze cirúrgica, que eles seguraram. Uma análise espectroscópica da água tratada por curandeiros indica uma mudança na estrutura molecular da água induzida por energia. Esta água tratada por curandeiros mantinha estas propriedades alteradas e sua eficiência por pelo menos dois anos. Estes achados sugerem que é, pelo visto, possível que objetos sagrados, como água benta, possuírem poder.

Oração Distante ou Deslocada pelo Tempo :

Oração não-Local: Os exemplos precedentes indicam que a oração e a cura espiritual podem exercer seu efeito a partir de uma distância. Como discutido em Healing Words de Larry Dossey ( 1993 ), cobaias ( novamente voluntários normais sem "dons" especiais ) podem influenciar o resultado de eventos físicos aleatórios mesmo quando separados por grandes distâncias. Esta pesquisa, grande parte da qual foi conduzida na Universidade de Princeton, utiliza eventos aleatórios ou geradores de números. Estes geradores produzem largos conjuntos de dados como zeros e um, que ao longo do tempo possuem uma média como no caso de cara ou coroa. Cobaias, no entanto, podem influenciar o resultado destes geradores para que os dados não mais possuam uma média ( ou seja, não mais aleatórios ). Concentração e foco mental parecem possuir efeito mínimo. No entanto as cobaias com maior influência descreveram uma ligação ou "tornar-se um" com a máquina.

Oração Deslocada no Tempo: Não apenas podem cobaias influênciar resultados ao longo de distâncias mas também, impressionantemente, podem afetar resultados do passado. Específicamente, as cobaias influenciaram a saída de geradores de eventos aleatórios no passado. Nestes experimentos causa-ocorrendo-após-o-efeito, os eventos aleatórios haviam sido gravados mas ainda não conscientemente observados. Esta influência após o fato foi bloqueada, no entanto, se outro grupo ( mesmo um animal ) observava os dados pré-gravados antes que a influência mental fosse executada.  Portanto, observação consciente aparenta fixar o passado.

Se nós podemos influenciar os resultados passados de geradores de eventos aleatórios, alguns dos quais são baseados em decaimento atômico, sera possível influenciar nosso passado médico, que também é baseado em eventos atômicos? Por exemplo, embora exames médicos de rotina possam descobrir problemas em um estágio inicial, não há evidência estatística que tais exames aumentem a longevidade na população geral.
Embora sendo cuidadoso para não encorajar indivíduos a abolirem tais exames, Dr. Larry Dossey especula que o exame médico possa servir como o ato de observação que irrevogavelmente trava a doença em existência. Esta "busca médica" pode "apagar a maleabilidade de eventos fisiológicos críticos" que muitos indivíduos poderiam ser capazes de influenciar em um nível de mente, corpo e espírito.

Uma Nova Energia?

Física quântica está desenvolvendo teorias com insights em fenômenos não-locais tais como orações distantes.
Por exemplo, o teorema de Bell , que é apoiado por evidências experimentais, indica que uma vez que partículas subatômicas entrem em contato, elas permanecem sempre conectadas. Uma mudança em uma cria uma mudança concorrente na outra, mesmo se estiverem a um universo de distância. Alguns físicos acreditam que estes eventos não locais não estão apenas limitados a partículas subatômicas, mas estão na base de eventos diários, incluindo a oração. Para ajudar a entender um número de fenômenos inexplicáveis, incluindo eventos não-locais, muitos físicos acreditam que uma quinta forma de energia exista ( em adição a gravidade, energia eletromagnética, e energia nuclear forte e fraca ) que opera em princípios diferentes.

Talvez a energia de força vital a que muitas tradições médicas e espirituais se referem ao longo da história represente esta energia. Será a energia que os Tibetanos e Hindus se referem como prana, que os Polinésios chamam de mana, Yesad na tradição da Cabala Judaica, qi ou chi na medicina oriental, ou o Sagrado espirito santo cristão?

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Caminhar para ficar esperto?

Um artigo recente mostra que uma leve caminhada várias vezes por semana não somente aumenta os níveis de fitness - também lhe faz mais esperto. Novas pesquisas mostraram que caminhar "em seu próprio passo" por 40 minutos, três vezes por semana pode melhorar a inteligência.

Cientistas concluiram após um estudo de um ano, envolvendo pessoas que caminham regularmente e sedentários que caminhadas moderadas melhoram as conexões entre os circuitos cerebrais, combatem a queda de função neural liga ao envelhecimento e melhoram a performance em tarefas que envolvem raciocínio.

Bem, exercitar-se sempre é uma opção mais saudável que o sedentarismo. As caminhadas também costumam diminuir padrões de pensamentos repetitivos, típicos de quando estamos em ambientes fechados sem luz por muito tempo.

Informação Versus Conhecimento

Quantas vezes nos deparamos empolgados em distribuir, espalhar certa verdade ou verdades que encontramos ao longo de nossas vidas? Seja um pensamento que inspira, vindo de uma facção religiosa, seja uma conclusão que chegamos após um tempo observando determinado fenômeno ou situação social.

Normalmente o que se vê, é a tendência a debater, a combater o outro. A subjugar seu ouvinte a aceitar seu ponto de vista, confirmando a si mesmo no processo. O que estou querendo dizer é que muitas vezes que alguém lhe passa algo, seja uma informação, um "truismo" ou algo assim, ela não possui um genuíno interesse em melhorar sua vida.
Simplesmente o desejo é de se afirmar como correto, e evitar angústia e outros sentimentos internos.
           
Debate, em sua essência meiga e "positiva"
Outras vezes a informação não tem grande valia, já que você está em um caminho diferente da pessoa. Deve-se levar sempre em consideração quem é a pessoa que lhe traz a informação, e tornar-se astuto o suficiente para conseguir intuir ou descobrir de maneira empírica quais são suas reais intenções. Qual o valor de uma informação sobre como ser mais "assertivo" e como "destruir seu oponente" em um argumento, quando a pessoa que recebe a informação está mais interessada em troca de informação, ao invés de estar simplesmente "certo" ?

Esta é uma das razões pelas quais a informação não viaja só. Ela precisa de um veículo, que lhe dá sentido, contexto e direção. No modo em que este veículo lhe transmite a informação estão contidas todas estas coisas, é só aprender a observar.

Outra situação que ocorre, é que o indivíduo sente que lhe foi passada uma grande verdade, e o que ele faz é simplesmente lhe re-passar o veículo por onde ele conseguiu tal informação.
Esta maneira de encaminhar a situação tem grande valia, no entanto uma outra abordagem, mais oriental em origem, tem um maior poder de penetração.

Se você crê que recebeu uma informação sobre como viver melhor, pratique. Faça desta informação, que pode ser uma nova maneira de caminhar, ou de respirar ou de entender certo aspecto de nosso mundo, sua propriedade. Caminhe com o que você aprendeu, pratique sempre.
Se a informação for válida, ela mudará sua vida perceptivelmente para melhor. Se não for, discarte, começe novamente.

Eventualmente as pessoas perceberão a mudança e esta informação, que agora é conhecimento, terá muito mais impacto.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O espelho fraturado da personalidade

Existem certas idéias que não são agradáveis de se discutir.
Narciso e seu reflexo?
Certas idéias que vão de encontro a atual condição humana: narcisista.
Uma destas idéias foi anunciada para o mundo há muito tempo atrás... da inevitabilidade da pessoa comum de decidir seu próprio rumo e destino.

Esta é uma das razões pelas quais quatro anos na faculdade é muito tempo... que namorar por mais de dois anos é muito tempo. Que hoje tu amas, e amanhã odeias, para depois amar de novo talvez.

A humanidade está em modo de reação. Ela simplesmente reage ao estímulo externo do momento.. para reagir em outro momento ao próximo, e ao próximo. Seguindo certas leis, é inevitável que eventualmente o conjunto de "choques" externos redirecione o homem numa direção oposta a que ele estava tomando anteriormente.

Como isto é possível? O homem, a mulher, não possuem uma direção, uma vontade que os comanda?

Sim. No entanto a parte da personalidade que dita esta direção muda constantemente.

O nó gordio da personalidade dividida em quereres e desgostos...

Desde o momento em que conseguem guardar conceitos e abstrações, crianças são ensinadas, ora diretamente, ora indiretamente, que a sua personalidade é o "conjunto total da obra" por assim dizer.

Que é um ser humano integro e completo, sem nenhuma rachadura ou descontinuidade.
No entanto, quem nunca presenciou alguém cujo comportamento muda quase que instantâneamente seguindo certo estímulo externo?

Exemplo. Homem pacato, manso, de fala lenta e deliberada no dia a dia. Seu nome é Josué. Reservado e tranquilo, um exemplo de equilibrio... até ocorrer uma partida de futebol. O que era calmo se torna agitado, o que era manso torna-se agressivo e xinga, xinga. O equilibrio não será restaurado até a partida, e seus efeitos sobre ele, terminarem.

Se Josué é tão calmo, o que ocorre durante as partidas de seu time? Uma das explicações comuns é que Josué simplesmente gosta tanto de seu time, que ele vira outra pessoa. Eu ofereço outra explicação. Josué naquele momento era realmente outra pessoa. Uma pessoa para quem as reações de Josué são estranhas, e que seu comum é ser agressivo e agitado. Ambas as pessoas convivem em Josué. E muitas outras também, de todos os temperamentos e tamanhos. Possessão demoniaca? Nem de longe. É o fenômeno da Personalidade e suas fraturas.

Não há um Josué apenas vivendo dentro da mente de Josué. Existem vários, com diferentes gostos e predileções.. e a cada momento, seguindo determinado estímulo, cada um deles fica no controle. É como se fosse uma imensa cidade, onde cada cidadão pudesse ser prefeito por uma hora, e fazer o que bem entende, e ninguém entra em consenso sobre como governar a cidade.

Josué é doente? Maluco? Não, infelizmente tal estado é comum a quase todos nós.
Josué tem esperança? Isto depende de muitas coisas, mas principalmente se ele está disposto a admitir o fato, e iniciar certas contra-medidas.

O espelho fraturado que é a Personalidade nada pode refletir, pois seus pedaços são de diferentes tamanhos e até de tipos de vidro diferentes, quem eu pergunto, este espelho pode refletir, em fidelidade?
Quem, a personalidade fraturada pode enxergar em verdade?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Dourado, Big Brother e propaganda

Gente como a gente.

Ok, serei direto. O que significa Marcelo Dourado ser o vencedor da última edição do Big Brother Brasil?
Mas primeiro, de onde surge o nome Big Brother?
Este nome muito possivelmente foi retirado da obra do escritor Eric Arthur Blair, mais conhecido como George Orwell, autor de 1984.

Em seu livro, uma sociedade controlada por uma figura autoritária, que nunca é vista em público, e sua própria existência é duvidosa. Esta figura é chamada de Big Brother.
E ele está sempre a lhe observar.

A sociedade que Orwell descreve é constantemente vigiada pelas autoridades, principalmente por meio de teletelas, a procura de dissidentes políticos, que serão torturados e "recondicionados" a aceitar e amar o Partido.

Acredito que as semelhanças já estão claras.

Este programa, tem algumas similaridades com variados experimentos psicológicos :
a "aleatória" troca de poder no jogo ( o lider, ou o anjo )levando pessoas a assumirem comportamentos diferentes; os testes que, especialmente nesta última edição são provas que visam "quebrar" mentalmente os participantes; as intrigas constantes e o drama e o caos da casa.

Este programa, assim como outros passa certas noções que são aceitas subconscientemente pelas massas.
Como por exemplo ninguém é constante emocionalmente, padrão de pensamento: hoje você não fará tal comportamento, mas amanhã quem sabe?

Como na casa, raramente algum participante chega até o fim ( leia-se é permitido pelas constantes edições que o programa sofre que seja observado como um participante agradável para o público ) comportando-se como uma pessoa equilibrada, ou sem mudanças caóticas de comportamento.

O programa tem um certo appeal para pessoas reativas, que apenas reagem aos acontecimentos que se apresentam. Uma pessoa assim, nunca será constante, pois faltam-lhe bases internas coerentes e estáveis.

Outra noção é reforçar que conflitos caóticos, pessoas venenosas são normais, e talvez até "sinceras".
O que leva ao post de hoje.

O que faz Dourado o vitorioso desta edição?
Um indivíduo truculento, que ameaçou agredir uma mulher e fez inúmeros comentários preconceituosos?



Bem. Igual, atrai igual.

Dourado, não apenas é um reflexo da cultura Brasileira como sendo também fruto óbvio de propaganda.

O que a vitória de Dourado diz sobre os Brasileiros?
As pessoas que comentam o quanto ele é honrado, o quanto ele é "sincero".

Há uma cultura popular que confunde o fato de não conseguir reter um julgamento que pode ferir o outro com sinceridade.
Como as pessoas em geral estão constipadas emocionalmente, e nunca aprenderam a direcionar sua raiva e outros sentimentos de maneira positiva, admiram Dourado por ser como eles gostariam de ser. Ele diz, mesmo que fosse mais gentil ficar calado.

No entanto, é interessante como a questão do homem ser agressivo para com mulheres, algo normalmente muito mal visto pela nossa cultura, passar completamente despercebida por seus fãs, que enxergam Dourado como desejam enxergar.

O que isso diz sobre o Brasil no geral?

We
are
Fcked.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Pensamento crítico e mente aberta encerramento

Bom, nossa segunda possibilidade visto o último post é a da pessoa de aspirações científicas, marcadas por uma certa descrença do sobrenatural e do supersticioso.
Este segundo indivíduo é marcado por uma crença dogmática e inabalável no poder dos sentidos para apreender os eventos do mundo. Essa crença é colorida por outra crença, do poder do rigor científico para explicar os eventos.

Esta pessoa, possivelmente vem de um lar onde sentimentos, o expressar livre de sentimentos, não era encorajado. Onde o sentir era associado ao descontrole, ou a irracionalidade.
Essa pessoa não necessariamente possuía pais cientistas. Só é necessário que encoragem a racionalidade como método para toda e qualquer situação; que associem o fato de não demonstrar emoções com força, firmeza de caráter. Que façam com que a criança se sinta desejosa de não exteriorizar suas emoções.
Com as emoções devidamente suprimidas, o intelecto toma proeminência na vida desta criança. Uma pessoa que desconfia de reações emocionais e se sente francamente desconfortável na presença das mesmas, encontra guarita nos livros e em qualquer atividade onde as emoções estejam praticamente ausentes.

Esta pessoa cresce com a ilusão que é equilibrada e coerente, já que desde a mais tenra infância sabe manter-se tremendamente tranquila enquanto outros não.
Claro que de tempos em tempos ela se pergunta porque não chorou no enterro da avó, mas nada que perturbe sua auto-imagem.

Uma pessoa para se tornar dogmática precisa agarrar-se a sua presente visão de mundo, e fazê-la parte integral de seu senso de eu. Qualquer desafio a suas crenças é um ataque pessoal. Isto é fácil de se enxergar no fanático religioso mas por vezes é mais difícil de enxergar no fanático científico.

Mas ciência e religião vivem em planos diferentes você pode argumentar; que a ciência vive de fatos, e a religião de crenças.

A ciência é tão creonte quanto a religião.

Agora justificarei minha heresia.
Houve, em algum momento, uma pesquisa continuada, com rigor, para estabelecer a existência da alma?
Porque estamos há mais de 100 anos tentando colidir átomos, e a despeito de todos os fracassos continuamos até conseguir.
Porque, cientistas que tentam elucidar "tópicos quentes" como por exemplo outras teorias a respeito da HIV, benefícios de meditação e outros são brutalmente ridicularizados, perseguidos e desacreditados.
Se, uma pessoa discorda de você, há alguma necessidade de queimar suas publicações como fizeram com Raymond Fife?
Estes são comportamentos de fanáticos, e não de livres pensadores exercendo o pensamento crítico. Se um livre pensante encontra um fio de investigação, ele o investiga até se exaurir, sem nenhuma expectativa de que é verdade ou não o que está investigando, até mesmo a respeito de como acontece.
A partir do momento em que você tem expectativas, e tais expectativas são emocionalmente importantes para a preservação do seu senso de eu - "não posso acreditar que a mente possa influir sobre a matéria" - você já deixou de ser um pesquisador objetivo há muito tempo.

Possuindo experiência suficiente, e influência suficiente no meio científico, é possível provar ou refutar qualquer coisa. Dados são conjurados do ar o tempo inteiro, no entanto raramente os pesquisadores mais inocentes levam isto em consideração.

Dizer que a pesquisa acadêmica é livre de interesses, é simplesmente ingenuidade perigosa.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Mente aberta e Pensamento crítico

No último post abordamos o problema de se deixarem valores implícitos para as expressões mente aberta, valor implícito positivo, e cabeça dura,valor implícito negativo, independente de contexto.

Vamos de encontro então as causas que podem ser encontradas em nós, que assumem papel importante no processar de pensamentos, pensamentos estes que em última instância serão a lente através da qual perceberemos o mundo externo, principalmente os padrões de pensamento automáticos.

Por que precisamos analisar os pensamentos e seus padrões para podermos entender por que alguém é cabeça dura ou mente aberta em dada questão?

Tomemos um exemplo. Dada pessoa acredita firmemente que antes do dia do juízo final bíblico, ela será resgatada por anjos celestes. A mesma pessoa no entanto acha impossível um ser humano reincarnar ou vida fora do espaço.
Outra pessoa se identifica com as ciências e acredita que o amor nada mais é que uma série de complexas reações químicas e enzimáticas. E que a existência de uma alma é impossível.

O que estas duas pessoas podem possuir em comum?

A primeira vista não muito. Parecem vindas de contextos sociais diferentes, ou podem ter vindo do mesmo lugar, mas escolheram contextos sociais e crenças diferentes ao longo da vida.

No entanto olhando mais de perto, pode-se ver que ambos são rápidos em dispensar elementos que contrastem com a sua visão de vida, que não podem ser resolvidos sem causar uma dissolução de seus atuais padrões de pensamento.

Os padrões de pensamento, aqueles pensamentos inconscientes que ditam a forma como você reage ao mundo a sua volta, justamente por estarem longe da consciência diária possuem uma força absurda sobre nossos atos.

Mas, o leitor pode argumentar que os padrões de pensamento dos dois exemplos estão claros e óbvios como água. Estão?

Por padrão de pensamento inconsciente, refiro-me a os pensamentos que levaram uma pessoa a se interessar por religião ou ciência,ou qualquer outra coisa em primeiro lugar.

Simplificando então a situação, construirei um contexto hipotético, ou seja infinitas outras possibilidades podem ter ocorrido, sobre nossos dois exemplos.

Exemplo 1 - Homem religioso, com crenças fervorosas que será levado aos céus do dia do julgamento. Desconfia da ciência, o "sobrenatural" é coisa do capeta, a postura quanto a doenças e infortúnios é que "Jesus vai me livrar".

Primeira pergunta. Como era o lar deste homem? Era um lar que desencorajava o livre pensamento? Que impunha regras estritas sob o manto de religiosidade? Era um lar de "certo ou errado" ? Traduzindo, tu fez certo tu serás recompensado, fez errado apanhas ou sofre de alguma maneira? Em nossa tenra infância aprendemos padrões que podem durar toda uma vida.

Por exemplo, digamos que este homem, em sua infância era uma criança normal que fazia coisas de criança. Em um lar religioso, mas com o pai totalmente ausente, e uma mãe que acredita que o errado deve ser corrigido, a força se for necessário.
Esta criança, toda vez que faz determinadas coisas, vê uma outra faceta de sua mãe que a aterroriza: alguém que grita, bate, é agressiva e implacável. Que talvez após isso tudo é tomada pelo remorso e chora. Ver alguém se transformar assim já faria um impacto na cabeça de um adulto, imagine na cabeça de uma criança?

Sem força, sem poder de decisão sobre si, esta criança se vê forçada, e a palavra é forçada, a submeter-se as vontades de sua provedora. Então ela não aprende o julgamento sobre seus atos, e sim que se ela fizer determinadas coisas ela será recompensada ou punida. E ninguém, salvo a galera BSDM, gosta de ser punida. Esse traço de personalidade BSDM por sinal é outra discussão interessante mas fica para outra hora.

Claro que esta criança poderia ter reagido de outras maneiras, mas vamos ficar com esta linha de raciocínio ok?
Então temos uma criança de um lar religioso, para quem o pai é uma figura distante, que surge apenas para o eventual elogio, ou o homérico e memorável esporro ou surra de cinto, este possuindo maior poder de penetração na memória.
Com uma mãe que caso você não faça nada errado ela é legal.
Esta criança então torna-se temente.

A partir daí, já se tem o solo fértil em uma criança com medo de ser punida e de desagradar a outros. Que graças a sua criação com pouco exercício de livre-pensamento, o acha perigoso pois ela ainda carrega consigo o medo de apanhar se desagradar sua mãe, e sua mãe não encorajava estes pensamentos críticos.
E num caso clássico de estocolmo, esta criança ama sua mãe já que muitas histórias infantis e a escolinha primária estimulam o "ame seus pais", "honrar pai e mãe".

Esta pessoa então eventualmente adota a igreja como sua nova "mãe" fato que é possivelmente facilitado pelo lar em questão. Esta pessoa possivelmente terá constantes conflitos internos dilacerantes, pois sua percepção lhe dirá algo sobre o mundo, mas seu pensamento a contradirá. Sua percepção pode dizer "humm está idéia de reencarnação é interessante" ou "Talvez eu devesse ir menos a igreja e ler um livro sobre o corpo humano". Mas outra parte de sua psique, uma mais antiga e potente lhe dirá que a igreja é o que precisas ou então - insira manifestação sanguinolenta de fúria divina -.

É uma pessoa que rejeitará tudo que mãe/igreja lhe dirá para rejeitar, e que foi acostumada desde cedo a por a responsabilidade de suas decisões ou das coisas que lhe ocorrem em ombros alheios, já que nunca foi ensinada a ser responsável por suas ações, e sim a temer fazer ações "erradas". E quem melhor para ser responsável por todas coisas em sua vida, uma pessoa para culpar, que senão alguém já morto há muito tempo? Entra jesus ou qualquer outra divindade.

No próximo post veremos a situação da pessoa número dois.
AVISO: este blog não é contra nenhuma forma organizada de religião. Nem este blog diz que ocorrerá assim em todas as casas religiosas.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Mente aberta

O tópico da percepção e de ser ou estar mente aberta, é uma das discussões mais antigas que você com certeza já presenciou. Em algum momento de sua vida você já deve ter sido chamado implícita ou explícitamente de "cabeça-dura" ou de mente aberta.
Mais possivelmente de ambos, dependendo do assunto em questão.

Uma cabeça REALMENTE dura.


O indivíduo que é tido como mente aberta normalmente é visto como uma força benigna da sociedade, visto como algo de bom. Enquanto que o cético é visto dependendo do contexto como sábio e astuto ou como o mal encarnado.

No entanto muitos que são vistos como mente aberta, simplesmente são crédulos,"compram sem experimentar",são ansiosos por crer sem um exame mais minucioso. E da mesma maneira muitos que são chamados de céticos, simplesmente são muito inertes para tentar entender profundamente dado assunto, preferindo simplesmente abanar as mãos e dizer "xô, xô, tu não ecxiste!"

Em ambos os casos, é vista a mesma falta de senso crítico e de curiosidade, vontade de realmente estabelecer os fatos conhecidos e chegar a novos fatos esquecidos.

Olhando mais profundamente o assunto, talvez chegue-se a conclusão que o fato de alguém ser percebido como mente aberta, ou não, depende de não somente um fator.

O que leva então ao ceticismo dogmático, ao ceticismo saudável ou ao estado de ser simplesmente crente?

Bom estabeleçamos então que estes estados de apreensão da realidade variam de acordo com o assunto em questão ok?

Em dada situação, para sermos capazes de executar um julgamento sobre dado assunto, uma etapa fundamental é a capacidade de isentar-se de emoções no processo de...pensar. A partir do momento em que ambos se misturam, o trem descarrilha e temos uma situação em que o julgamento sairá colorido por nossas emoções no momento.

Bem, supondo que as emoções não sejam um obstáculo. Temos os fatos ou falta de fatos.
Quanto mais fatos, menor a possibilidade de se encontrar quimeras ao longo do caminho. No entanto a interpretação dos mesmos varia, devido ao ponto que quero salientar neste post.

Até agora as emoções e a quantidade de fatos interferem no julgamento final de dado assunto. Com estes dois fatores como base, ocorre toda uma série de interlaces, envolvendo situações sociais (o que é adequado crer em dada situação ). O ponto principal que quero salientar, sendo não necessariamente o mais importante, mas crucial, é a qualidade dos meios de perceber a realidade.

Em sua experiência diária, você deve ter notado que existem pessoas que parece que processam as coisas de maneira diferente. Existem pessoas cujas únicas preocupações são o conforto dos sentidos. Fato que independe de condição social. Existem outras entretanto, para brincar com os dois extremos, cuja maior satisfação é o progresso moral, ou espiritual ou filosófico ou ético,escolha a palavra que menos lhe atritar.
Kazimiers Dabrowski. 

Kazimiers Dabrowski, que é conhecido por sua teoria da desintegração positiva, tinha algumas coisas interessantes a dizer a esse respeito.
Dabrowski mantinha em suas observações, assim como Gurdjieff e outros, que os homens e mulheres não são todos iguais em sua maneira de perceber o universo.

Que existem aqueles que percebem o mundo usando apenas os cinco sentidos;ou apreendem a realidade de maneira mais extensa, fazendo uso do mundo das idéias. Outros por meio das emoções.

Voltarei a este assunto, pois isto nada mais é que uma pequenina intro. No meio tempo espero que tenha ficado claro que ser mente aberta, não é necessariamente algo positivo por si só. Depende do contexto.